Como montar o menu/cardápio do seu restaurante? | RSP Contabilidade e Consultoria Eireli

Como montar o menu/cardápio do seu restaurante?

como elaborar o cardápio ou menu de seu restaurante

Para montar o menu/cardápio do seu restaurante é necessário ter atenção em vários aspectos essenciais. Não trata-se apenas de pensar no paladar que será aplicado e sim em questões ligadas ao ambiente macro do negócio.

A gestão é fundamental e é primordial ter cuidado, porque é mediante a isso que tudo vai funcionar melhor ainda. O ponto mais interessante para os clientes é ter um layout bacana e um valor justo, porém a gerencia pensa em outras questões.

A realidade é que para montar o menu/cardápio do seu restaurante vai ser importante atentar-se a 4 pontos.  Mediante a toda essa situação, ficará bem mais simples de atingir um nível diferenciado dos demais e assim crescer mais.

Quais são os passos para montar menu/cardápio de seu restaurante?

Conforme mostrado anteriormente, é de grande valia pensar em aspectos mais abrangentes do que apenas dos alimentos. Muitos acreditam que basta caprichar nos paladares e pronto, porém a realidade é totalmente contrária.

O mais interessante é pensar que para montar o menu/cardápio do seu restaurante você deve atentar-se a 4 questões essenciais. Os aspectos vão ser de maneira muito mais geral e trata-se de pontos que são fundamentais, veja:

  • Definição do menu;
  • Preços;
  • Layout e diagramação
  • Otimização do cardápio

Dá para perceber é referente a aspectos técnicos do restaurante, da gestão, do design do cardápio e também da otimização. É muito importante prestar atenção nisso, pois é uma visão macro do ambiente e essa é mais uma vantagem.

A realidade é que para conseguir montar o menu/cardápio do seu restaurante é necessário ter informações mais profundadas. Pensando nessas questões, os próximos 4 tópicos vão te auxiliar a entender tudo e com mais facilidade.

1.    Definição do Menu

É primordial entender que para definir o menu é preciso primeiro aprender a definir qual será o público-alvo. Lembre-se que cada tipo de perfil vai ter os seus gostos e preferências dos pratos, sem esquecer dos elementos estéticos.

Pense que não adiantará nada montar o menu/cardápio do seu restaurante todo requintado se o público-alvo preferir um “PF”. O mais interessante é pensar que esse tipo de analise é fundamental para evitar que os erros aconteçam.

Obviamente que uma pesquisa sobre as tendências em cardápio de restaurante que são mais adotados pelos concorrentes. Esses consumidores dos mesmos têm comentado sobre os menus que são mais interessantes para essa situação.

Uma dica especial sobre o assunto é evitar ao máximo de inserir no cardápio apenas o que a sua cozinha pode cumprir. Não vai adiantar nada colocar um determinado prato e depois não ter a capacidade de entregar o que foi prometido.

Por fim, mas não menos importante, é necessário pensar que em um toque que deixará o cardápio melhor. Trata-se de separar no menu de acordo o tipo de refeição, portanto, até certo horário ficará “almoço” e depois “jantar”.

2.    Preços

Afim de permitir um melhor entendimento, é necessário pensar melhor na importância que uma politica de precificação. Mais uma vez, é preciso pensar no que seu público-alvo e assim ir conseguindo ter uma definição mais acertada.

Para negócios que estão iniciando a sua operação, é necessário montar o menu/cardápio do seu restaurante pensando em algumas questões. A princípio vai ser preciso ter acesso as informações e a seguir você vai conferir:

  • Em primeiro lugar, é de grande valia definir qual será a quantidade máxima de pratos que o restaurante conseguirá vender no mês;
  • Em seguida, divida as despesas fixas pela sua capacidade máxima de produção e assim obtenha o custo fixo unitário;
  • Some o custo variável de cada prato ao custo fixo unitário e será possível descobrir o CUT (Custo Unitário Total);
  • Depois, cálculo o índice de MarkUp, que será o número que você encontrará dividindo 100 pela diferente de 100 menos os percentuais da empresa, por exemplo: nota fiscal, comissão e taxa de cartão.

Deu para perceber que a conta do MarkUp em um primeiro momento parece ser algo muito complicado. A boa notícia é que não é assim e a seguir será possível perceber por meio de um exemplo, confira:

  • 10% de nota fiscal
  • 3% de taxa de cartão
  • 20% de lucro pretendido
  • 8% de investimento em marketing e promoções
  • 10% de comissão para os garçons

Ainda assim, é preciso ver um exemplo:

  • MARKUP = 100 / (100 – (10+3+20+8+10))
  • MARKUP = 100/ (100 – 51)
  • MARKUP = 100/49
  • MARKUP = 2,04

Logo após efetua a conta, lembre-se de usar a seguinte formula: Preço de venda = CUT (Custo Unitário total) x MARKUP

É essencial mostrar que para montar o menu/cardápio do seu restaurante é necessário considerar esse segundo passo.

3. Layout e diagramação

Uma vez já efetuando a parte de paladar e precificação, chega-se o momento de mostrar como seria o resultado final. De acordo com o seu tipo de atuação, é possível ter até duas opções e a mais abaixo dará para conhecer ambas:

  • Cardápio impresso– Essa alternativa é a mais simples e dá para criar um bom cardápio no Word ou mesmo Excel. Para um investimento maior, é uma excelente opção optar pela contratação de um design gráfico.
  • Cardápio digital– Dependendo da empresa poderá existir uma preferência por um menu digital para ser inserido no aplicativo. Nesse caso, contratar um programador para desenvolver o software é uma boa.

Em síntese, é de grande valia pensar em que estilo é o mais acertado para montar o menu/cardápio do seu restaurante. Conforme citado acima, a pesquisa de mercado com a identificação do público alvo deve ser feita.

4.    Otimização do cardápio

Nada que é criado deve permanecer da mesma maneira, portanto, é necessário ir efetuando pequenas mudanças. O principal é identificar os pratos que saem mais e aqueles que não tem tanta saída, pois podem ir sendo substituídos.

Em suma, para montar o menu/cardápio do seu restaurante e ter sucesso, lembre-se de usar a sua gerencia. A ideia é mapear os pratos e ir aplicando preços e dinâmicas diferentes, sempre de acordo com a necessidade.

Com o tempo a tendência é de ir adaptando as mudanças e assim conseguir que o resultado final possa melhorar cada vez mais. A questão por trás desse pensamento é a necessidade de ir diferencia-se da concorrência, ou seja, tendo um diferencial competitivo e agregar valor ao seu negócio.

Foodcont é uma marca do Grupo RSP, empresa do segmento contábil com mais de 10 anos de atuação no segmento de Food Services em geral, entre em contato conosco, clique aqui.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTATO
WhatsApp chat